13/01/2011

Meiose - Processo de Divisão Celular

Meiose
Muitos dos acontecimentos da mitose, como a formação do fuso acromático, o desaparecimento da membrana nuclear (carioteca) e o movimento dos cromossomo para o equador da célula, tambem ocorrem na meiose. A diferença basica entre os dois processos é que, na meiose, acontecem duas divisões celulares seguidas, que resultam na formação de quatro células-filhas para cada célula que inicia o processo. Durante esse período cada cromossomo se duplica apenas uma vez, o que explica a redução do padrão cromossomial de 2n para n e, depois, com a fecundação, a manutenção do número de cromossomos de uma geração para outra.

Primeira divisão da meiose


A primeira divisão da meiose ou meiose I tem quatro etapas:
Prófase I - Ocorre o pareamento dos cromossomos homólogos, ou seja, cada cromossomo duplicado emparelha-se com seu homólogo. Esse emparelhamento é exclusivo da meiose e garante que cada célula-filha receba um cromossomo de cada par de homólogos. A membrana nuclear e o nucléolo fragmentam-se e os fios de cromatina condensam-se. Pode ocorrer troca de pedaços entre cromossomos homólogos. Essa fase está dividida em subfases.
Metáfase I - Por causa do emparelhamento, os cromossomos homólogos não ficam alinhados no mesmo plano, como na mitose. Eles permanecem de cada lado da região mediana do fuso acromático.
Anáfase I - Os cromossomos homólogos separam-se e vão para os pólos opostos, por causa da contração dos fios do fuso. Ao contrário do que ocorre na mitose, as cromátides não se separam; os cromossomos que migram para os pólos são cromossomos duplos, e não simples.
Telófase I - Os cromossomos chegam aos pólos ainda duplicados, sem se desenrolarem completamente, como na mitose. O citoplasma divide-se e formam-se duas células-filhas. Como não possuem pares de homólogos, essas células são haplóides e a divisão é reducional ( Produz células-filhas com a metade dos cromossomos da célula-mãe; ocorre na formação de gametas).

Segunda divisão da meiose


O intervalo entre a primeira e a segunda divisão da meiose (ou meiose II ) é chamando de intercinese. Ele é muito curto e logo começa uma segunda prófase. É importante observar que não vai ocorrer outra duplicação do DNA.
Como não existem cromossomos homólogos na mesma célula, também não haverá emparelhamento. Assim, os movimentos cromossomiais são idênticos aos da mitose.
No fim da segunda divisão, o número de cromossomos não se reduz. Por isso ela é chamada de divisão equacional. No entanto, como cada cromossomo duplicado se separa em dois cromossomos simples, não há mais duas cópias de cada molécula de DNA por célula.

Subfases da prófase I
A prófase I apresenta uma série de fenômenos que a tornam bem diferente da prófase da mitose. É uma fase prolongada e dividida em cinco etapas:
*Leptóteno – os cromossomos começam a se condensar e, apesar de estarem duplicados, a duplicação não é visível ao microscópio óptico;
*Zigóteno – inicia-se o pareamento visível dos cromossomos homólogos, processo também chamado de sinapse;
*Paquíteno – completa-se o pareamento dos homólogos, que se apresentam espessos, pois os filamentos estão muito condensados. Cada par de homólogos forma uma díade ou bivalente; como a duplicação dos cromossomos é bem visível, observamos quatro cromátides, cujo conjunto é chamado de tétrade. Inicia-se a permutação ou o crossing-over ( do inglês, cruzar sobre ), que é a quebra de cromátides homólogas acompanhada de uma ressoldagem trocada e em diagonal. O resultado é um intercâmbio de genes entre os cromossomos homólogos de origem paterna e materna. Trata-se de um fenômeno muito amplo, que ocorre em todos os cromossomos de praticamente todas as células que sofrem meiose e aumenta consideravelmente a variedade genética, o que é importante na evolução das espécies;
*Diplóteno – os cromossomos começam a separar-se, mas permanecem unidos nos pontos das cromátides em que ocorreram as permutações. Em cada um desses pontos aparece uma figura em X, chamada de quiasma.
*Diacinese – os cromossomos ficam mais condensados e os quiasmas deslizam para a extremidade da bivalente, fenômeno chamado de terminalização dos quiasmas; a permutação completa-se na anáfase I, com a separação dos homólogos. A occorência de permutação é facilmente constatada, uma vez que seu número é iqual ao de quiasmas observados.


Conclusão

Meiose é um processo de divisão celular na qual, células diplóides (2n) dão origem a quatro células haplóides (n). Essa forma de divisão possibilita a formação dos gametas (células sexuais). A meiose ocorre em duas etapas que se subdividem em prófase, metáfase, anáfase e telófase. A fase que antecede a meiose é conhecida como interfase, que consiste na duplicação dos cromossomos, da célula que se apresentam como filamentos duplos denominados cromátides.

2 comentários: